Associada da ABES, a ARMIS intensificou sua atuação no Brasil, onde abriu um escritório para atender diretamente seus clientes. A estratégia é ampliar a penetração de suas soluções e serviços no mercado brasileiro e expandir sua presença para outros da América do Sul. O grupo reúne várias empresas com um portfólio diversificado para atender clientes em várias verticais de negócios: Finanças e Seguros, Setor Público, Transportes, Telecomunicações, Educação, Indústria, Esporte e Saúde. O Portal da ABES entrevistou Horácio Ferreira, Chief Strategy Officer (CSO), da ARMIS para falar sobre os planos do grupo e cibersegurança, um os braços dos negócios.

Horácio Ferreira, Chief Strategy Officer (CSO), da ARMIS

  1. Há quanto tempo a Armis está no Brasil?

A ARMIS está no Brasil fisicamente há cerca de 10 anos. Mas, antes mesmo disso, a empresa já desenvolvia projetos em território brasileiro. Conforme nossa atuação foi se expandindo, surgiu a necessidade de termos nosso escritório in loco, com especialistas brasileiros. Hoje, nosso portfólio conta com clientes de grande porte e de diferentes áreas da indústria.

  1. Em quais outros países da América Latina a empresa está presente?

A ARMIS atua no Brasil em organizações multinacionais e conta com parcerias na Argentina, por exemplo. Nosso objetivo para 2022 é justamente expandir com ainda mais vigor a nossa atuação em outros países. Estamos caminhando para isso, pois queremos auxiliar as organizações neste percurso da digitalização.

  1. Qual é a estrutura comercial da ARMIS no Brasil?

Atualmente contamos com a nossa equipe própria e interna. Nossos especialistas na área atuam diretamente no contato com clientes e potenciais clientes, estabelecendo relações produtivas entre diferentes stakeholders. 

  1. Quais os objetivos da Armis na América Latina e, especialmente, no Brasil?

Nosso objetivo é transformar a realidade por meio da tecnologia. Somos um Grupo de empresas que se dedicam a diferentes frentes de atuação como Finanças e Seguros, Setor Público, Transportes, Telecomunicações, Educação, Indústria, Esporte e Saúde seguindo o propósito de facilitar a vida das organizações e dos profissionais que nelas trabalham.

Muito além disso, buscamos fortalecer as infraestruturas dos nossos clientes quer ao nível da cibersegurança, quer ao nível das suas operações, onde quer que estejamos.

Nas organizações brasileiras, a cibersegurança tem sido destaque em relação à procura de serviços e consultorias. Diante de um cenário de crescente preocupação em torno do tema, a ARMIS se coloca como uma parceira para serviços na área que alinhem a transformação digital à segurança e boa experiência do usuário.

Portanto, muito mais do que continuar expandir a atuação em território sul-americano, a ARMIS espera remodelar os negócios dos seus clientes por meio da tecnologia, prezando por cibersegurança, inovação e alta performance.

  1. Qual a solução que a empresa oferece no mercado de cibersecurity e seus diferenciais?

A ARMIS apoia a cibersegurança de maneira integrada. Nos dedicamos ao desenvolvimento de soluções ambiciosas e concentramos os nossos esforços nas tecnologias mais recentes. Com mais de 17 anos de know-how e expertise nessa área, fornecemos Gestão de Identidades e Acessos, Testes e Certificações de Software, Pentesting, entre outras propostas ligadas à área da cibersegurança.

O diferencial da ARMIS é colocar os objetivos dos clientes como sendo os nossos próprios, entendendo a realidade nos quais eles atuam e desmistificando a ideia de que para haver cibersegurança é necessário processos longos, burocracias e longas esperas.

Em nossas soluções, buscamos por fácil deployment e rápida adaptação do usuário, de modo que facilite a colaboração entre as equipes. Com estratégias de segurança adaptadas à cada organização é possível empoderar as equipes e facilitar o compartilhamento de dados, com segurança.

Trabalhamos na gestão de identidades e acessos para empresas de grande porte, que contam com uma complexa arquitetura organizacional e que por isso, precisam ter esses sistemas automatizados e que ao mesmo tempo, mantenha altíssima performance em cibersegurança.

Por outro lado, estamos presentes também em organizações menores, mas que já compreendem que a transformação digital é inadiável e que os dados organizacionais são ativos de extrema importância para quem quer manter suas operações a longo prazo. Entendemos que seja qual for a complexidade de uma empresa, evitar fraudes e ciberataques deve ser entendido com um investimento e não como um gasto.

  1. Como as empresas podem melhorar suas políticas e práticas na cibersegurança?  

Para além da construção de sistemas robustos, que contam com variáveis físicas e cibernéticas, acreditamos que fortalecer uma cultura organizacional voltada à cibersegurança é fundamental para a manutenção dela.

Podemos dizer que as empresas podem melhorar suas políticas e práticas de cibersegurança com a utilização de tecnologias para proteção de dispositivos como, por exemplo, Passwordless authentication (processos de segurança sem requisição de senhas) e autenticação multifatores. Também é fundamental a parte cibernética de gestão de perfis e acessos, que é basicamente o controle dos acessos às redes da sua organização, permitindo ou não determinados acessos a pastas, arquivos, documentos etc.

Sob a ótica da cultura voltada à cibersegurança, é possível utilizar treinamentos internos, trabalhar a comunicação interna e sempre ensinar novos colaboradores sobre os riscos que temos à segurança da empresa em e-mails, sites suspeitos etc. As organizações devem ajudar seus colaboradores a identificarem e retratarem atividades suspeitas no sentido da cibersegurança.

Na ARMIS trabalhamos com abordagens “Zero Trust”, que na prática significa colocar a organização sempre em alerta sobre possíveis tentativas de invasão. A cibersegurança deve ser entendida não como um gasto, mas sim como um investimento em proteção de ativos.

  1. Por que cresce o número de casos de vazamentos de dados? Como reduzir isso?

Vivemos na era da informação e, com isso, nossos dados passam a ser considerados como bens. Essa digitalização da sociedade ativou uma espécie de “guerra cibernética” entre pessoas e organizações tentando proteger seus dados e, do outro lado, temos indivíduos mal-intencionados tentando fraudá-los para obter algum benefício.

A medida em que o nível de robustez da tecnologia aumenta para que esses dados estejam mais protegidos, os responsáveis por comportamentos fraudulentos também aumentam seu nível técnico e estratégico para conseguir realizar suas ações de má fé.

Para reduzir isso, é necessário que as organizações estejam sempre atentas ao que há de mais inovador em termos de segurança e que atualize, informe e conscientize constantemente às suas equipes sobre a cibersegurança, reforçando cada vez mais o assunto de maneira a construir uma cultura organizacional que seja digitalizada e ao mesmo tempo capaz de evitar ciberataques.

SOBRE A ARMIS

A ARMIS é uma multinacional, que busca por transformar os negócios através da tecnologia, formada por um grupo de 5 empresas. Seu diferencial é a segmentação por área na qual atua. Muito mais do que o know-how em tecnologia, o ARMIS quer destacar o know-how nos negócios que compõem o seu portfólio. As empresas são:

ARMIS Information Technology: voltada à cibersegurança, tecnologias da informação e ferramentas de colaboração e produtividade.
ARMIS Financial Tecnology: focada na transformação digital do setor financeiro de ponta a ponta.

ARMIS Digital Sport: atua com soluções voltas à digitalização esportiva.

ARMIS Intelligent Transport Systems: empresa do grupo ARMIS voltada à mobilidade inteligente e ao futuro das cidades.

OZONO: do Grupo ARMIS, a Ozono é considerada uma “parceira tecnológica” das organizações, por meio dos seus serviços de operacionalização e soluções cloud.

acesso rápido

pt_BRPT