Estudo Mercado Brasileiro de Software – Panorama e Tendências aponta crescimento acima da média para o mercado brasileiro

A ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software divulgou a atualização do estudo “Mercado Brasileiro de Software 2022 – Panorama e Tendências”, realizado com dados da IDC, em um evento totalmente virtual realizado no dia 18 de maio. Foram apresentadas informações sobre investimentos e perspectivas para os setores de TIC no Brasil e no mundo.

A apresentação foi conduzida por Paulo Milliet Roque, presidente da ABES, com as participações de Jorge Sukarie (conselheiro da ABES) e de Fabio Martinelli (líder dos programas de Software e Cloud Computing na IDC). “Estamos cada vez mais comprometidos em proporcionar conteúdos e serviços que contribuam para a construção de um Brasil digital e menos desigual, no qual a tecnologia da informação desempenha um papel fundamental para a democratização do conhecimento e a criação de novas oportunidades para todos, de forma inclusiva e igualitária. Por isso, atuamos para assegurar um ambiente de negócios propício à inovação, ético, dinâmico, sustentável e competitivo globalmente”, declara Paulo Milliet Roque.

Para se ter uma ideia de alguns resultados apresentados, o Brasil hoje detém 1,65% dos investimentos em tecnologia em nível global, e 40% dos investimentos em toda a América Latina. Considerando o total de investimentos globais em tecnologia da informação (software, hardware e serviços) durante o ano de 2021 – que foi de US$ 2,79 trilhões –, o nosso país figura na décima posição neste ranking de investimentos, com US$ 45,7 bilhões aplicados, e lidera na América Latina, cujo total de investimentos alcançou US$ 115 bilhões.

A ABES também destacou durante o evento que o Brasil segue como referência entre os países considerados emergentes, apresentando um alto grau de maturidade em investimentos em TI – que prioriza os valores dedicados ao desenvolvimento de software e incremento da oferta de serviços. O total aplicado se distribui em 25% para o mercado de software (U$ 11,3 bilhões), 18% para o mercado de serviços (U$ 8,1 bilhões) e 58% para o mercado de hardware (U$ 26,3 bilhões), o que mostra que o país caminha para a média global, cuja distribuição é de 26% em software, 27% em serviços e 47% em hardware.

De acordo com Jorge Sukarie, conselheiro da ABES, o Brasil também apresentou um ligeiro aumento da dispersão dos investimentos em TI pelo país. “O aumento de participação nos investimentos de TI na última década, nas regiões Nordeste e Norte, foi de 1%, enquanto na região Sul o aumento de participação foi de 2%. Nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, a queda de participação nos investimentos totais de TI foi de 2%”, destaca. Isto não quer dizer que as Regiões Sudeste e Centro-Oeste não cresceram em termos dos investimentos em TI, mas sim que elas tiveram crescimento proporcionalmente menor que as demais regiões que registraram aumento na participação nos investimentos de TI.

Já o crescimento do mercado de tecnologia, em nível global, foi de 11% em 2021 – entretanto, no mesmo período, o Brasil apresentou um crescimento maior, de 17%, o que mostra o potencial do país neste segmento. “A tendência, para 2022, é que haja um crescimento global na ordem de 6,4%, e o Brasil, mais uma vez, deve apresentar índices bem acima da média, uma vez que a expectativa de crescimento do nosso mercado seja em torno de 14,3%, atrás apenas da Turquia, cujo crescimento é estimado em 16% para este ano”, aponta Jorge Sukarie.

Fabio Martinelli, líder dos programas de Software e Cloud Computing na IDC, destaca a importância do evento para a democratização das informações sobre o mercado de tecnologia no Brasil.  “Vamos aproveitar esse tempo para falar sobre as tendências do mercado na aplicação de tecnologia, visando a jornada de recuperação dos negócios e como as empresas avançam na aplicação da tecnologia para impulsionar a inovação em uma economia cada vez mais digital. O estudo visa aprofundar o conhecimento do mercado relacionado a TIC no Brasil, além de mapear os impactos da Transformação Digital (DX) nas empresas”, explica o executivo.

Confira outras tendências apresentadas:

  • Implantação do 5G: A IDC estima que o 5G movimentará no Brasil cerca de US$ 25,5B até o ano de 2025, na impulsão de tecnologias como AI, Big Data & Analytics, Cloud, Segurança, AR/VR, Robotics e IoT.
  • IoT: Em 2022 é esperado que um total de US$ 1,6B seja direcionado para soluções serviços relacionados a Internet of Things, o que representa crescimento de 17,6% sobre o ano anterior.
  • Cybersecurity: Serviços de segurança totalizarão quase US$ 1B no Brasil em 2022, o que representa crescimento médio de quase 10% YoY desde a pandemia. As soluções de segurança superarão US$ 860M neste ano, com nuvem recebendo qrande atenção.
  • Ambiente Híbrido (Cloud): Os gastos com infraestrutura como serviço (IaaS) na nuvem pública alcançarão US$ 1,9B em 2022, com crescimento acima de 36%. A nuvem privada mantém ritmo de crescimento mais discreto, avançando 7,9% e atingindo gastos de US$ 540M no Brasil.
  • Uso de Dados: Em 2022, é esperado que um total de US$ 2,9B seja direcionado para soluções e serviços de Big Data & Analytics, o que significa aumento de 10,8%. Para AI/ML, o crescimento esperado para os gastos em 2022 é de 28% YoY, alcançando um montante de US$ 504M.

A íntegra do Estudo Mercado Brasileiro de Software – Panorama e Tendências pode ser baixado gratuitamente no link, com o intuito de colaborar nas decisões sobre investimentos em TI e na elaboração de estratégias. Para assistir ao evento na íntegra, acesse o canal da ABES no YouTube. 

acesso rápido

pt_BRPT