Foi apresentado durante o evento Connected Smart Cities, em São Paulo, o resultado de uma pesquisa inédita que listou as cidades mais inteligentes do Brasil e elegeu o Rio de Janeiro (RJ) como referência no ranking geral dos municípios com mais de 500 mil habitantes. A segunda colocada foi a cidade de São Paulo (SP), que também liderou o segmento de Mobilidade.
 
Com o objetivo de identificar fatores relevantes para o crescimento sustentável dos municípios e apontar as cidades brasileiras com maior potencial de desenvolvimento, o Ranking Connected Smart Cities, elaborado pela Sator e a empresa Urban Systems, mapeou 700 municípios para poder classificar os 50 mais desenvolvidos em um ranking geral, além de duas subdivisões: a primeira por faixa populacional – até 100 mil habitantes, de 100 mil a 500 mil e acima de 500 mil habitantes – e, a segunda por segmento, que apontou as cinco melhores nos quesitos mobilidade, urbanismo, economia, meio ambiente, energia, tecnologia e inovação, saúde, segurança, educação, governança e empreendedorismo.
 
O presidente da Urban Systems, Thomaz Assumpção, acredita que o projeto poderá despertar no poder público e iniciativa privada novas maneiras de perceber as cidades. “É preciso que representantes tenham consciência dos investimentos e aprimoramentos que devem ser realizados nas diversas áreas mapeadas”. A diretora da Sator, Paula Faria, corrobora o fato de que o Ranking é um importante indicador e ressalta a importância do seminário para a difusão de ideias. “Ao propor soluções, expor cases de sucesso e discutir caminhos inteligentes, o Connected Smart Cities incentiva o desenvolvimento urbano”, pontua.
 
Confira o ranking
 
1º        Rio de Janeiro (RJ)
2º        São Paulo (SP)
3º        Belo Horizonte (MG)
4º        Brasília (DF)
5º        Curitiba (PR)
6º        São Caetano do Sul (SP)
7º        Vitória (ES)
8º        Florianópolis (SC)
9º        Porto Alegre (RS)
10º      Recife (PE)
11º      Santos (SP)
12º      São José dos Campos (SP)
13º      Uberlândia (MG)
14º      Ribeirão Preto (SP)
15º      Nova Lima (MG)
16º      Maringá (PR)
17º      Niterói (RJ)
18º      Fortaleza (CE)
19º      Jundiaí (SP)
20º      Barueri (SP)
21º      Campinas (SP)
22º      Uberaba (MG)
23º      Ilha Solteira (SP)
24º      Goiânia (GO)
25º      Amparo (SP)
26º      Balneário Camboriú (SC)
27º      Campo Grande (MS)
28º      Piracicaba (SP)
29º      João Pessoa (PB)
30º      Macaé (RJ)
31º      Salvador (BA)
32º      Contagem (MG)
33º      Aracaju (SE)
34º      Osasco (SP)
35º      Teresina (PI)
36º      Valinhos (SP)
37º      São Bernardo do Campo (SP)
38º      Santo André (SP)
39º      Pato Branco (PR)
40º      Goiatuba (GO)
41º      São João da Boa Vista (SP)
42º      São Carlos (SP)
43º      Juiz de Fora (MG)
44º      Guarulhos (SP)
45º      Votuporanga (SP)
46º      Marília (SP)
47º      Indaiatuba (SP)
48º      Araraquara (SP)
49º      Ipatinga (MG)
50º      Betim (MG)
 
Prêmio Connected Smart Cities
 
Durante o evento, o público também conferiu os vencedores do Prêmio Connected Smart Cities, cujo objetivo foi contemplar empresas nacionais que atuam com projetos e ações que contribuam com o desenvolvimento de cidades inteligentes no país. Na categoria “Negócios em Operação”, empataram na votação do jurados e dividiram a primeira colocação os projetos ‘Coletivo’, que consiste em uma comunidade de usuários de transporte público que alimenta um sistema de informações colaborativo sobre a rede de transportes, contribuindo com os próprios usuários, empresas e órgãos do governo, que terão acesso à situação da rede em tempo real; e o ‘Descarte Legal’, plataforma online de gerenciamento de resíduos sólidos industriais com múltiplas funcionalidades e que visa facilitar o trabalho das empresas geradoras de resíduos para garantir o descarte legal e o desenvolvimento sustentável, empataram na votação do jurados e dividiram a primeira colocação.
 
Já na categoria “Negócios Pré-Operacionais”, o portal Sautil, que oferece ferramentas de acesso a recursos de saúde gratuitos para população brasileira, faturou o primeiro lugar. Por meio de um buscador na web e também ferramentas mobile e totens espalhados em cidades, a população tem acesso a informações e recursos de saúde pública, como remédios, vacinas, unidades de saúde, consultas e exames em todo o país.

 

acesso rápido

pt_BRPT