Solução da IPM Sistemas também fez Palhoça atingir índice máximo na última análise

 

A nota do município catarinense de Biguaçu, na Grande Florianópolis, cresceu cerca de 40% na última edição do Ranking Nacional de Transparência. Os dados, coletados em maio de 2016 pela Câmara de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal, mostram que houve avanço da qualidade e disponibilidade das informações sobre a gestão pública municipal. No ano passado, os avaliadores fizeram a mesma análise e atribuíram nota 6,6 à cidade — em uma escala de zero a dez.  Na última análise, foi alcançado o índice de 9,1.
 
Poucos meses antes da segunda avaliação, a cidade de cerca de 63 mil habitantes adotou o Portal da Transparência da IPM Sistemas. A plataforma, desenvolvida pela empresa especialista em soluções para a gestão pública municipal, atende aos principais critérios observados em todos os municípios brasileiros para a composição do ranking. Ela facilita a disponibilização de forma integral e permanente das informações administrativas da cidade, para que o cidadão possa acessar os dados a qualquer momento e fiscalizar a aplicação dos recursos pagos por ele por meio dos tributos.
 
Como a atualização do portal é feita de forma automática, não há o risco de os dados serem inseridos de forma equivocada, nem de ocorrer qualquer tipo de adulteração. Totalmente baseado na cloud computing, as informações circulam entre todos os sistemas desenvolvidos pela IPM e utilizados pela cidade. Conforme o diretor de Tecnologia da Informação de Biguaçu, Eduardo Jonker, isso reflete que a eficiência melhorou significativamente. “Antes da implantação do sistema, a cidade tinha 132 pendências para serem corrigidas por meio de Termos de Ajustamento de Conduta (TACs) com o Ministério Público. Agora, recebemos elogios da justiça pelo bom desempenho”, diz.
 
Avanço semelhante aconteceu em Palhoça, distante cerca de 30 quilômetros de Biguaçu e também pertencente à região da Grande Florianópolis. A cidade tem quase 155 mil habitantes, que desde 2014 podem acompanhar em detalhes como os gestores a estão administrando. No primeiro levantamento, a nota foi de 5,5 pontos; neste ano, a máxima: dez.
 
O responsável pela área de Tecnologia da Informação do município, Anderson Medeiros, diz que desde quando o Portal da Transparência passou a ser fornecido pela IPM, em 2014, mais de 315 mil acessos foram feitos. “Estamos cumprindo uma determinação legal, mas ter uma solução funcional e eficiente serve até como um balizador interno das nossas ações como servidores públicos”, finaliza.

acesso rápido

pt_BRPT