Balanço anual de monitoramento da associação aponta queda no número de anúncios removidos, resultado de programa de proteção à propriedade intelectual

A ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software removeu da web, no ano de 2021, 112.429 anúncios, links e sites com conteúdos que davam acesso a arquivos que violam o Direito Autoral e a Propriedade Intelectual dos associados da entidade. A ação acontece desde 2005 e é realizada por meio do trabalho de Monitoramento da Internet da associação. Com isso, a ABES já conseguiu derrubar mais de 887 mil conteúdos ilegais desde o início do monitoramento. 

O balanço mostra que o número de anúncios removidos caiu em relação a 2020, enquanto o número de links removidos praticamente duplicou. “Observamos essa dinâmica porque os sites de leilão se tornaram ambientes mais controlados quanto às práticas ilegais, razão pela qual a pirataria de software online migrou para ambientes menos controlados, no caso, links disponibilizados ilegalmente. A média de sites removidos se manteve com um pequeno aumento” explica Carolina Marzano, assessora de comitês da ABES. 

A queda no número de anúncios está relacionada ao Programa de Proteção à Propriedade Intelectual (PPPI), do Mercado Livre, fundado com a ajuda da ABES há quase 20 anos. “A eficiência deste programa é muito importante para o trabalho da ABES, que é assegurar aos nossos associados um ambiente de negócios propício à inovação, dinâmico, competitivo globalmente, e principalmente ético. Totalmente alinhado ao propósito da entidade, de contribuir para a construção de um Brasil digital e menos desigual”, comenta Rodolfo Fücher, presidente da associação.  

Até dezembro de 2021, a ABES contabilizou 112,429 links removidos por violarem os direitos de propriedade intelectual. Foram retirados do ar 1.647 anúncios que promoviam produtos piratas. Além disso, a entidade foi responsável por derrubar 117 websites que ofereciam downloads ilegais de software. 

A associação faz um monitoramento contínuo da internet e notifica diretamente os próprios portais de e-commerce e os provedores de acesso. Esta ação tem o objetivo de proteger os consumidores, que podem estar expostos a vírus, malwares e sequestro de dados. Também protege o consumidor que pode estar infringindo as leis brasileiras de propriedade intelectual sem saber. Empresas Associadas à ABES podem contar com esse serviço de monitoramento gratuitamente encaminhando eventuais conteúdos ilegais para o Setor de Monitoramento de Internet.  

Além do PPPI, dentro dos objetivos da ABES, a entidade também promove a integridade ética entre seus associados através do programa Uma Empresa Ética, que incentiva e oferece gratuitamente às associadas os meios para implantar os três pilares essenciais de uma política de integridade e conformidade ao arcabouço legal: a elaboração e implementação de um código de ética; treinamento de compliance aos colaboradores e a adoção de um canal de denúncias independente. Para saber mais acesse o site oficial.

acesso rápido

pt_BRPT